Selecione outras regiões  

Sistema de Saúde Nipomed

Telefone (11) 2122-0204 Segunda a sexta das 9h às 18h
Sábado das 9h às 12h


Alterar de localidade

Primeiros Socorros

Esta página contém informações úteis sobre como prestar primeiros socorros em vários casos de acidentes. Abaixo um índice para facilitar a procura:

1. RESPIRAÇÃO ARTIFICIAL

Em muitos dos casos de primeiros socorros é de vital importância a respiração artificial. Como fazê-la:

a) Para adultos:
- Deite imediatamente a vítima de costas, com os braços estendidos ao longo do corpo;
- Afrouxe as suas roupas, deixando livres pescoço, tórax e abdomen;
- Desobstrua as vias aéreas superiores (boca e garganta), retirando corpos estranhos e secreções e puxando a língua;
- Incline a cabeça da vítima para trás, suspendendo-a com uma das mãos na nuca e a outra na testa (muitas vezes esta manobra é suficiente para restabelecer a respiração, pois deixa livre a passagem do ar para os pulmões).
- Aperte as narinas com os dedos indicador e o polegar da mão que estiver na testa para evitar a fuga de ar pelo nariz, quando da respiração artificial;
- Cubra a boca da vítima com a sua própria boca, de forma a não deixar escapar o ar;
- Faça uma inspiração profunda e sopre na boca até o peito da vítima se expandir. A seguir, solte o nariz e afaste sua boca da boca da vítima para permitir que o ar saia de seus pulmões;
- Repita o movimento 15 vezes por minuto;
- Comprima o estômago da vítima entre uma e outra insuflação, para eliminar o ar que penetrou dentro do estômago;
- Se necessário, troque de socorrista, sem interromper o ritmo respiratório;
- Procure socorro médico, mesmo com a vítima recuperada.

b) Para crianças:
- Desobstrua a garganta da mucosidade, comida, etc., virando a criança de cabeça para baixo, segurando-a pelos tornozelos e aplicando palmadas vigorosas nas plantas de seus pés (não gaste nisso mais do que alguns segundos);
- Deite a criança de costas, incline a cabeça da vítima para trás, suspendendo-as com uma das mãos, pela nuca, para afastar a língua da entrada das vias respiratórias;
- Coloque sua boca firmemente sobre a boca e o nariz da criança, para evitar a fuga de ar quando da respiração artificial;
- Sopre cuidadosamente, com pressão suave, até o peito da criança elevar-se;
- Aplique a pressão suave e contínua sobre o abdomen, para evitar que o estômago se encha de ar:
- Deixe a criança expirar livremente;
- Repita o processo 20 vezes por minuto;
- Procure socorro médico, mesmo com a criança recuperada.

2. AFOGAMENTO

O que fazer :
a)- Retire a água dos pulmões da pessoa acidentada da seguinte forma:
- Deite-a de bruços, com a cabeça virada para um dos lados, com os braços dobrados, de maneira que as mãos fiquem uma sobre a outra, sob o rosto;
- Levante e abaixe seus braços por várias vezes;
- Faça pressão com as mãos sobre as costa, na altura dos pulmões;
- Repita esses movimentos até que saia toda a água dos pulmões.
b)- Após a retirada da água dos pulmões, se a pessoa não estiver respirando, comece a respiração boca a boca

3. ASFIXIA

O que fazer :
a) Por gases venenosos, vapores químicos ou falta de oxigênio
- Coloque a pessoa num local bem arejado
- Aplique a respiração artificial boca a boca

b) Por soterramento
- Descubra a cabeça da vítima e limpe bem, desobstruindo seu nariz e sua boca;
- Inicie, imediatamente, a respiração artificial.

c) Por envenenamento por medicamentos, sedativos ou produtos químicos
- Aplique, imediatamente, a respiração boca a boca

d) Por estrangulamento
- Liberte a vítima da causa do estrangulamento.
- Aplique, imediatamente, a respiração boca a boca.

e) Por choque elétrico
- Não toque na pessoa até que ela esteja separada da corrente elétrica!
- Desligue a chave geral, se houver ou deslique o fio da tomada;
- Retire a pessoa usando corda seca ou pano de algodão seco para afastá-la do fio;
- Inicie a respiração artificial boca a boca, logo que ela estiver livre da corrente elétrica

OBS: Em qualquer dessses casos de asfixia, após a reanimação da vítima, encaminhe-a imediatamente para atendimento médico ou ao hospital mais próximo!

4. CONVULSÃO

É uma contratura involuntária da musculatura, provocando movimentos desordenados e, em geral, acompanhada de perda de consciência.

O que fazer :
a) Convulsões em adultos ou crianças - sem febre
- Desaperte toda a roupa da vítima;
- Deixe-a longe de objetos que possam feri-la;
- Proteja sua língua colocando algo entre os dentes como pedaços de pano ou de borracha;
- Deixe-a debater-se, não a segure forte, cuidando para que a cabeça não sofra nenhum traumatismo pois dentro de alguns minutos, tudo cessará.
- Procure socorro médico.

b) Convulsões em crianças - com febre
- Retire as roupas da criança e mergulhe-a em água fria;
- Deixe-a dentro da água até que a temperatura baixe, ficando próxima do normal, molhando também a cabeça;
- Envolva-a em uma toalha e procure socorro médico.

c) Convulsões em epiléticos
O QUE NÃO DEVE SER FEITO!
- Tentar reanimá-lo durante o ataque
- Dar-lhe algo para beber

CONSELHOS
- Não tome banho de mar sozinho;
- Não dirija veículos;
- Não ande na beira de precipícios ou locais muito altos que ofereçam risco de queda;
- Evite ter, em seus quartos, jarras, objetos quebráveis ou móveis pontiagudos;
- Durma em cama bem baixa.

5. FERIMENTOS

O que fazer:
a)- Leves ou superficiais
- Lave bem as mãos com água e sabão, se possível esfregue-as com escova;
- Se o ferimento sangrar em damasia, deve-se estancar a hemorragia, antes mesmo de lavar as mãos, evitando perigo de vida da vítima por sangramento.
- Limpe o ferimento com água prèviamente fervida e sabão, tantas vezes quanto for necessário para uma boa limpeza da lesão.
- Aplique uma solução anti-séptica como mercurocromo, iodo, merthiolate ou alcool iodado.
- Cubra o ferimento com gaze esterilizada ou com um pano limpo.
- Procure um médico.

b)- Externos e profundos
* Estes tipos de ferimentos requerem pronta atenção médica:
- Ferimentos com bordas que não se juntam corretamente;
- Ferimentos em que há presença de corpos estranhos;
- Quando a pele, músculos, nervos ou tendões estão dilacerados;
- Quando há suspeita de penetração profunda de objeto como bala, faca, prego, etc.;
- Quando a região próxima ao ferimento não tem aparência ou funcionamentos normais.

- Quando houver evisceração, isto é, saída de vísceras pela ferida:
O que fazer:
- Manter no lugar, com o maior cuidade, os órgãos expostos;
- Cubra com pano ou compressa úmida e aquecida;
- Prenda o pano ou compressa no lugar, com uma atadura;
- Leve a vítima, o mais rápido possível, para o pronto socorro

6. FRATURAS

O que fazer:
a)- Fechadas
- Coloque o membro acidentado em posição natural tanto quanto possível, sem desconforto para a vítima;
- Prepare talas para sustentação do membro atingido com papelão, madeira, jornais dobrados, etc. de comprimentosuficiente para ultrapassar as juntas acima e abaixo da fratura:
- Use panos, algodão em rama ou outro material macio para acolchoar as talas;
- Amarre as talas com ataduras, lenços ou gravatas, não muito apertados em, no mínimo, quatro pontos, dois abaixo e dois acima da fratura;
- No caso de fratura na perna, outro recurso consiste em amarrar a perna quebrada na outra perna, desde que esta esteja sã, tendo o cuidado, primeiramente, de colocar entre ambas um lençol ou manta dobrada;
- No caso de fratura no braço, pode-se fazer no tórax o elemento de imobilização: fixe o membro fraturado no tórax;
- Não movimente a vítima sem antes imobilizar o membro fraturado;
- Recorra a socorros médicos após estes procedimentos.

b)- Expostas
- Faça curativo protetor sobre o ferimento, usando gaze, lenço ou pano limpo, fixando-o firmemente com tira de pano, gravata, cinto, etc;
- Mantenha a vítima deitada e o mais confortável possível;
- Imobilize a região fraturada, como se fosse uma fratura fechada;
- Procure socorro médico.
* Não tente reduzir a fratura (Não colocar o osso no lugar)!
- Deixe os dedos de fora quando imobilizar pernas ou braços para observar as condições dos mesmos;
- Se as extremidades do membro fraturado se apresentam frias ou arroxeadas, afrouxe imediatamente a bandagem.

7. PARADA CARDÍACA

Toda vez que houver parada cardíaca, concomitantemente haverá o desaparecimento dos movimentos respiratórios. Se o pulmão pára, segundos depois o coração pára também.

SINTOMAS:
- Ausência de batimentos cardíacos (encoste o ouvido na região anterior do tórax)
- Ausência de pulso (procure na artéria carótida, no pescoço)
- Dilatação da pupila (menina do olho dilatada)
- Parada respiratória - Extremidades roxas - Inconsciência.

O que fazer:
- Faça massagem cardíaca externa;
- Faça respiração boca a boca o mais rápido possível;
- Coloque a vítima deitada de costas sobre o solo ou em outra superfície rígida (Nunca sobre colchão ou sofá de molas ou espuma);
- Coloque as mãos sobrepostas na parte inferior do esterno (apenas as palmas das mãos, que ficam próximo do punho);
- A seguir, faça pressão com bastante vigor, para que se abaixe o esterno, comprimindo o coração de encontro à coluna vertebral;
- Repita a manobra 60 vezes por minuto, ritmadamente e com a mesma compressão;
- Combine sempre os movimentos com a respiração artificial;
- Procure socorro médico o mais rápido possível, continuando a aplicar o método, mesmo durante o transporte da vítima.

CUIDADOS:
- Sempre que combinar a respiração artificial com massagem cardíaca, somente sopre ar para os pulmões quando a mão do massageador suspender a pressão do tórax;
- Em adolescentes, faça pressão com apenas uma das mãos, com cuidado;
- Em crianças ou bebês, use apenas os dedos médios e indicados a fim de que não ocorram fraturas ósseas no esterno ou nas costelas;
- Havendo revezamento de socorristas, não se deve alterar o ritmo;

8. PERDA DE CONSCIÊNCIA (DESMAIO, VERTIGEM)

A perda de consciência pode ser provocada por desmaio, afogamento, asfixia por estrangulamento, envenenamento por medicamentos sedativos ou por produtos químicos, aspiração de gases venenosos e vapores químicos e por choques elétricos.
Desmaio é a perda repentina da consciência, em consequência de várias situações, inclusive de origem nervosa.

SINAIS E SINTOMAS DE DESMAIO:
- Suor intenso e frio, náuseas, vômitos, escurecimento da vista, palidez intensa, mãos e pés frios e amolecimento das pernas.

O que fazer:
- Afrouxe toda a roupa da vítima, cintos e colarinhos e retire os sapatos;
- Deite a pessoa de barriga para cima, com a cabeça baixa, sem travesseiro, em lugar ventilado.
- Não podendo deitá-la, sente a pessoa e baixe a sua cabeça até a altura dos joelhos, que deverão ficar afastados. A seguir, faça pressão para baixo sobre a nuca e peá a pessoa que force para levantar a cabeça.

9. PARTO SÚBITO

O parto é um ato natural. Chame um médico ou providencie transporte para um hospital. Existem, todavia, alguns pontos que devem ser lembrados, caso uma pessoa se encontre diante da emergência de um parto e tenha de prestar auxílio à parturiente por falta de recursos médicos próximos ou de condições para transportá-la a um hospital.

O que fazer:
- Deixe a natureza agir. Seja paciente. Espere até que a criança nasça;
- Lave bem as mãos. Conserve tudo limpo em torno da parturiente;
- Durante o parto, apenas ampare o corpinho da criança que nasce;
- Após o nascimento, proteja a criança, evitando contato com locais sujos ou chão frio e úmido;
- Cubra o recém nascido, mantendo-o aquecido;
- Caso o bebê não esteja respirando, limpe rapidamente sua boca e seu nariz. Coloque-o de cabeça para baixo, o que facilitará a saída de secreções. Se não respirar, aplique a respiração boca a boca, agindo com delicadeza e cuidado.
- Ferva uma tesoura ou limpe-a com álcool. Faça o mesmo com um barbante ou linha grossa;
- Amarre o barbante ou a linha grossa em volta do cordão umbilical, cerca de 5 cm. do bebê( mais ou menos quatro dedos), para interromper a circulação sangüínea no cordão. A seguir, amarre outro barbante em volta do cordão umbilical a cerca de 10 cm. do bebê. Entre os dois nós deve haver uma distância de aproximadamente 5 cm;
- Corte o cordão umbilical entre dos dois nós, usando a tesoura limpa;
- Mantenha mãe e filho bem agasalhados;
- Segure a criança apenas o necessário e com muito cuidado;

ATENÇÃO !
- Não interfira no processo de parto;
- Não lave a película, de cor esbranquiçada que cobre o corpo do recém nascido. Ela protege a pele do bebê;
- Nenhuma medida deverá ser tomada com relação aos olhos, ouvidos nariz e boca do bebê. Deixe isto por conta do médico, da parteira ou da enfermeira.

10.QUEIMADURAS

Causas mais comuns de queimaduras:
- Líquidos ferventes como água, melado ou leite;
- Agentes químicos, como soda cáustica, cal, ácidos e creolina;
- Fogo, em chama ou em brasa;
- Eletrecidade;
- Excesso de raios solares.

O que fazer:
a). Queimaduras de 1o.grau (Não formam bolhas)
- Coloque a parte queimada em água fria ou gelada, imediatamente!
- Dê um remédio contra dor;
- Se a parte queimada não puder ser mergulhada em água, aplique panos molhados em água fria ou gelada, até parar a dor.

b). Queimaduras de 2o. grau (Formam bolhas)
* Não fure as bolhas, mas se estas se romperem, faça o seguinte;
- Lave o local queimado com cuidado, usando água limpa, fervida e fria;
- Passe vaselina esterilizada sobre a parte queimada e cubra-a com gaze ou pano limpo;

* Se a área queimada for grande, faça o seguinte:
- Dê bastante líquido à pessoa com queimadura;
- Alivie a dor com comprimido analgésico conhecido;
- Encaminhe imediatamente a vítima ao médico ou hospital mais próximo.

c). Queimaduras de 3o. grau (Destrói a pele, expõe a carne e, às vezes, os ossos)
- Se a roupa da pessoa pegar fogo, utilize um cobertor ou qualquer pano grosso para abafar as chamas;
- Deite a vítima com a cabeça baixa e as pernas elevadas, se possível;
- Retire com cuidado os restos das roupas queimadas (se estiverem presas à queimadura, NÃO TENTE RETIRÁ-LAS, mas recorte ao redor.)
- Lave a queimadura com cuidado, usando água limpa, fervida e fria e sabão;
- Passe vaselina sobre a parte queimada e cubra-a com gaze ou pano limpo;
- Dê, se possível, medicação contra a dor, que seja de seu conhecimento;
- Dê bastante líquido (chá, água, café, suco de frutas), pela boca, se a vítima estiver consciente;
- Encaminhe-a imediatamente ao médico ou ao hospital mais próximo.

ATENÇÃO :
- A cura rápida e sem complicações da queimadura, assim como a infecção, está na dependência de um bom primeiro atendimento! Portanto, jamais ponha graxa, gordura, café, couro, lama, manteiga, óleo, ervas ou qualquer outra substância na queimadura.
- Nunca dê bebida alcoólica à pessoa queimada!

d). Queimaduras nos olhos
* Trata-se de um caso muito delicado. Essas queimaduras podem ser causadas por ácidos, vapor, água, cinzas quentes, faíscas de fogo e fogos de artifício, além de chama direta.

O que fazer:
- Lave os olhos com bastante água ou, se possível, com soro fisiológico, durante vários minutos;
- Tape o olho com gaze ou pano limpo;
- Encaminhe imediatamente a pessoa a um médico ou ao hospital mais próximo, com urgência!

 

Copygright© 2014 - Nipomed - Sistema de Saúde - Todos direitos reservados.